Paróquia Nossa Senhora Aparecida
Momento de Reflexão e Poesia
 
15.Jun - Contrários!
Contrários!


E para a reflexão de hoje, trouxe essa letra da música "Contrários" do Padre Fábio de Melo.


Uma letra que diz tanto.


Contrários! Avessos!


Você já reparou que tudo na vida tem os dois lados e que só reconhecendo isso, a beleza e a importância dos avessos que você consegue seguir leve, evoluir?


Vou começar falando do amor;


"e o amor só é amor se já provou alguma dor"


A quem escute isso e morra de rir.


"Ora Renata, se é amor, não pode ter dor!"


E eis aí o grande engano. Não digo para você permanecer em um relacionamento abusivo, de sofrimentos, não é esse tipo de dor, mas eu, você, nós só temos o direito de falar que amamos uma pessoa, quando passamos pelo exercício do perdão, quando conhecemos os seus contrários, os seus avessos e mesmo assim permanecemos ao lado dela, não reduzimos o seu valor em nossa vida baseado no Agora, quando amamos, olhamos no que passou e no que a pessoa aspira ser, é um olhar com o coração, com cuidado.


É muito fácil falar que ama uma pessoa que está com você em um relacionamento quando tudo está as mil maravilhas, só flores e tudo dando muito certo, quando não houve a necessidade de perdoar, mas eu sinto muito informar que isso não é amor, é admiração, encantamento, paixão. Amor é quando surgem os desafios, os obstáculos e vocês reconhecem a necessidade desses momentos para se conhecerem, para crescerem. É quando o outro está no chão e você o olha e enxerga nele além daquela imagem. E isso não se aplica somente na relação de um casal, na relação de amizade também.


As pessoas entram em um relacionamento baseado nos contos de fadas, olha pra pessoa e projeta nela a perfeição dos seres, o que almeja no relacionamento. Daí, no primeiro desconforto dado devido a algum fato, a pessoa é descartada e usa-se a frase:


"Se está causando esse tipo de situação, é porque não é pra ser."


A pessoa descarta e corre atrás de outra com o mesmo querer: "O MAR DE ROSAS!"


Amados, os contos de fadas só existem nos livros, a vida, nenhum relacionamento sobrevive só de poesias, flores e café na cama. Não estou falando que isso não é importante, claro que é, faz parte do cuidado, do carinho. Porém amar é conhecer, é aprender, é reconhecer a necessidade de passar pelos atritos para o crescimento do sentimento de ambos, se forem verdadeiros.


Ninguém, agora digo de uma forma geral, ninguém cresce nessa vida só vivendo de alegrias, aonde tudo da certo. É nos momentos difíceis que aprendemos ser fortes. É caindo que aprendemos a levantar. Ninguém chega ao topo sem antes passar pelo baixo.


Queremos sempre tudo dando certo, então se a estrada linda que percorro com flores e poesias começa a ficar feia, cheia de pedras, eu corto o caminho, busco um atalho e isso é adiar a passagem, porque mais cedo ou mais tarde você retornará nesse mesmo caminho, você só estará adiando o passar pelas pedras.


Temos que aprender a reconhecer as lições do contrário.


Se o caminho é difícil, pare e pense no que ele pode te ajudar, no que te aguarda lá na frente.


E se você se perder nesse caminho, se você chegar lá na frente e está tudo errado, é um errado certo, porque assim você precisará recomeçar e recomeçar é um constante aprender.


Se eu tivesse parado de fazer minhas molduras botânicas quando as primeiras flores mofaram e eu perdi o trabalho todo, eu não teria aprendido que tem a hora certa para fazer a colheita das flores, tem que ter um ambiente certo para guardar a prensa de secagem. Resumindo, eu não teria aperfeiçoado o que tanto amo fazer. Claro que seria mais fácil parar com tudo e decretar que não daria certo, mas eu preferi buscar, entender porque deu errado e recomeçar Assim que tem que ser, não deu certo, recomece quantas vezes for preciso e nunca se esquecendo das lições, porque em tudo tem uma lição, pode ter certeza.


O que seria a crucificação de Jesus, a sua morte na cruz, todo caminho até o calvário, caminho de sofrimento se não soubéssemos o contrário daquele momento?


Olhar para Jesus crucificado e só enxergar ali o sofrimento não é esse o sentido da cruz.


A cruz é amor.


A morte é a ressurreição.


Uma mãe para ter em seus braços o Ser mais especial e amado de sua vida, passa pela dor do parto.


É preciso a dor de horas em muita das vezes, para só assim poder ter nos braços o Ser gerado e tão esperado.


Gosto muito de falar dos ipês que florescem no outono/inverno, quando todos dormem.


Que bonito é reconhecer que aquela árvore ali seca, desnuda, está a espera de suas folhas e flores, o contrário do florescer, é a nudez.


E que coragem!


Olhar para um ipê desnudo sem reconhecer que ele está em preparo é decretar a sua inutilidade.


Certa vez um senhor ia cortar um ipê roxo que estava prestes a florir porque o mesmo estava totalmente sem uma folha ou flor e o senhor decretou que estava morto. Bati meu pé com ele, expliquei que era um ipê, ele riu, mas não cortou e dias depois o mesmo senhor estava em pé de frente o ipê grandemente florido.


E é assim a vida, um constante aprender a enxergar beleza nos avessos, ver além dos olhos.


O bordado é um artesanato belíssimo, rico em cores, formas, delicadeza em cada tecer da agulha. E ficamos ali admirados com tamanha beleza e nem nos damos conta que é no avesso, no que está escondido é onde tudo está contido, no outro lado do pano encontram-se as linhas entrelaçadas, o contorcer, a trama de tudo, o sustento.


É preciso olhar no avesso dos bordados e costuras de nossa vida e na vida de quem é do nosso convívio.


Esse é um exercício diário, o ver com o coração, o acolher quem está caído, essa sim é a grande compaixão, o grande amor, é o que nos pede Jesus. Acolher, abraçar, ajudar quem está bem, é fácil. Difícil é amar quem aos olhos humanos, não merecem ser amados e são esses os que mais necessitam de amor.


São Francisco de Assis, homem santo que muito admiro, largou sua riqueza para ajudar; e quem ele foi ajudar?


Os leprosos, pessoas que aos olhos dos outros, eram impuros, não merecedores, mas ele enxergava o contrário de cada Ser e uma verdade que ninguém pode negar; somos tosos filhos de um mesmo Pai.


Então, proponho uma reflexão baseada nessa letra do Padre Fábio, um refletir sobre o nosso dia a dia, um olhar diferente sobre nosso caminhar. Um aprender a enxergar a beleza do contrário.


Uma coisa que não podemos esquecer e é o fundamental; Deus não da um fardo maior que a nossa capacidade. Nossa cruz não é de peso impossível de carregar.


Entender isso, já é o começo do caminho.


 


Paz e Luz!


 


Renata Firmino


 



Fotógrafo: @renataoliveirafir

Fonte: @renataoliveirafir

Indique a um amigo
 

Copyright © 2021 Paróquia Nossa Senhora Aparecida. Todos os direitos reservados.